PI 303 - CAMARA - MS WEB RADIO

Brasileiro preso na fronteira é apontado como líder do "Justicieiros"

Anderson Menezes de Paula, de 32 anos, também conhecido como Tuca, está sendo acusado de comandar grupo que praticou crimes bárbaros na divisa entre Pedro Juan Caballero e Ponta Porã

Por Daniel Amaral em 05/10/2021 às 14:31:40
Escritório do crime foi fechado na tarde deste domingo por agentes da Senad e da Polícia Federal - Senad

Escritório do crime foi fechado na tarde deste domingo por agentes da Senad e da Polícia Federal - Senad

Anderson Menezes de Paula, de 32 anos, também conhecido como Tuca, preso na operação conjunta da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) com a Polícia Federal na tarde deste domingo (3) é apontado como líder do grupo "Justiceiros da Fronteira".

Informações de investigadores que atuaram na Operação Fronteira Segura 3, desencadeada pelos dois países e que estouraram o "escritório do crime", indicam que Tuca, estava prestes a assumir o comando do PCC (Primeiro Comando da Capital) em Pedro Juan Caballero, de acordo com publicação do ABC Color.

Anderson Menezes de Paula, segundo a polícia paraguaia e de acordo com o ABC Color, já operava na fronteira, mas ainda sem o rótulo de líder da facção, mas como líder do novo grupo que se autodenominou "Justicieros de la Frontera", e que tria cometido pelo menos uma dúzia de crimes nos últimos três meses na região.

"Tuca" seria o responsável por execuções e decapitações, na cidade de Amambai, além da tomada de uma cidade inteira para a execução de assaltos a banco. Ele tinha a confiança do alto escalão do PCC e assumiu dentro da facção a função de explosivista. Foram 3 operações em Pedro Juan Caballero e outras 8 em Ponta Porã.

Anderson é conhecido por seu perfil violento vinculado ao tráfico de drogas, assaltos a bancos e caixas eletrônicos. Outros integrantes que receberam a missão de consolidar o grupo para ações criminosas também foram presos: Willian Meira do Nascimento, o "Bruxo", brasileiro que se especializou como explosivista, Francisca Kelly e Alfredo Giménez Larrea.


Comunicar erro
UNIGRAN

Comentários

ABEVE